121

Não sei muito bem por onde começar, tenho tanto para te dizer…
Bom, primeiramente quero saibas que esta carta não é um ato de cobardia, mas sim uma forma querida de expressar aquilo que sinto por ti, sei também que esta carta não repara o que foi quebrado entre nós, e talvez nunca repare. Mas quero que saibas que eu me preocupo muito contigo e irei sempre preocupar. Isso nunca mudou. O que mudou foi que eu aperecebi-me do quão estupida fui por te ter deixado ir, a forma como me escapas-te entre os dedos, a saudade que me fez o teu sorriso e a tua voz. Tenho plena noção do quão criança fui em certos momentos, certas atitudes que nunca deveria ter tido, mas a verdade é que eu não estava ciente que tinha a mulher da minha vida diante de mim. Agora tenho, mas e será que o agora poderá ser demasiado tarde? Será que levei muito tempo a entender isso? Como diria a minha mãezinha “mais vale tarde que nunca”. E se for tarde para nós pelo menos, da proxima vez que se suceder o mesmo com outro alguém sei que terei de lidar com calma com a situação. E por isso mesmo, eu te agradeço por me teres feito crescer tanto como a pessoa que te ama e como ser humano, graças a ti aprendi a ser paciente, ter noção dos meus defeitos e a saber controlá-los. Pouco após de ter-mos perdido contacto, apercebi-me que eu andava a procura do Amor nos sitios errados e não percebi que tu estavas-me a dar exactamente aquilo que eu precisava. Por exemplo, quando mencionavas que as pessoas do teu pasasdo, com quem tiveste uma relação, te tinham ferido o coração e não te sentias capaz de demonstrar-me novamente com a mesma confiança aquilo que sentias, mas no entanto tu ías atrás de mim, tu puxavas por mim, tu dizias o quanto gostavas de mim, se calhar não da forma certa para que eu entendesse, e se calhar na altura eu não entendia por isso mesmo, mas os teus pequenos gestos de preocupação agora tornaram-se visiveis e enormes, porque na altura eu não era capaz de os ver, porque de certa forma estava vidrada naquilo que sentia por ti, mas bastou a distancia e o tempo que precisei dar a mim mesma para entender o quão importante te tornas-te para mim. A minha insegurança fez de nós aquilo que somos hoje, e é triste ter entendido isto tudo depois de ter-mos acabado e após tanto tempo que passou. Mas seria estupido se depois de entender tudo isto eu não tentasse ter-te de volta, porque és exactamente aquilo que eu perciso. Mas o meu maior erro foi perder-te e depois desta carta não espero nada de ti em troca, apenas quero que entendas o que aqui te digo e que leves no coração cada frase deste texto, porque cada palavra aqui descrita é sentida pela ausencia da tua pessoa na minha vida. #121

0 notas